OS DEZ MANDAMENTOS DO PERITO JUDICIAL DO TRABALHO

tabua-10-mand

O PERITO JUDICIAL DO TRABALHO deve ter consciência e competência para saber dos seus limites e obrigações na realização da Perícia Judicial do Trabalho, em respeito ao parágrafo 2° do artigo 473 do CPC.

E, para que o dispositivo legal, transcrito naquele artigo do código de processo civil seja respeitado pelos experts do juízo,  fui buscar na legislação o que defino como sendo os dez mandamentos que o perito judicial deve obedecer para não cometer o pecado mortal e ter a sua pericia impugnada.

OS DEZ MANDAMENTOS DA PERÍCIA JUDICIAL DO TRABALHO que deve ser respeitado pelos peritos.

INTRODUÇÃO: A designação da Prova Técnica Pericial e a nomeação do Perito pelo Juiz.

  1. Realizará pericias somente dos assuntos que tem profundo conhecimento técnico e científico; não se aventurarás em perícia de assunto que não domina e sempre se renderás à NR-15 e às NHOs aplicáveis;                                                                                                                                                                                                                                                                                                               Ouça:

     

  2. Respeitará o devido processo legal e o princípio do contraditório não tomando prova testemunhal em assuntos que não exigem conhecimentos técnicos a teor do artigo 420 do CPC;PROVA TESTEMUNHAL – OITIVA DE TESTEMUNHA – SOMENTE O JUIZ
  3. Respeitará os princípios jurídicos nas pericias judicias e não juntará aos autos qualquer documento sem respeitar o disposto no parágrafo 1° do artigo 473 do CPC;FUNDAMENTOS JURÍDICOS DA PERICIA – PROCESSO LEGAL  –  PRINCÍPIO DO CONTRADITÓRIO                                                                                                                                                                                     Ouça:

     

  4. Não copiarás laudos, PPRA, LTCAT, ordem de serviço ou qualquer documento oferecido pela reclamada na contestação para consubstanciar o seu laudo;                                                                     Ouça:

     

  5. Não farás dosimetria de ruído com uma única medição instantânea ou de calor com um termômetro de farmácia e jamais usará de aplicativos de celular para qualquer dosimetria;                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 Ouça: NR-15 – NHO

     

  6. Farás a leitura dos autos antes de aceitar a designação e não deixará de fazer a coleta de agentes químicos para a determinação da concentração dos agentes relacionados no anexo 11 da NR-15;
  7. Serás honesto na realização das diligências periciais e não se deixará levar pela parcialidade com vistas à sucumbência da reclamada;
  8. Respeitará todos os fundamentos jurídicos e técnicos da perícia judicial mesmo não havendo nos autos quesitos apresentados pelas partes ou na ausência de assistente técnico e advogados na realização das diligências periciais.
  9. Responderá aos quesitos com fundamentação técnica e científica; não farás respostas remissivas;
  10. Permitirás aos assistentes técnicos as prerrogativas dispostas no parágrafo 3° do artigo 473 do CPC.

2 comentários sobre “OS DEZ MANDAMENTOS DO PERITO JUDICIAL DO TRABALHO

  1. Prezado Mestre Odemiro “Zeca Berbes”, felicito-o pela brilhante síntese do que seriam as “boas práticas” recomendadas a um perito judicial do trabalho! Foste direto ao ponto, sem rodeios e sem deixar nenhuma margem de dúvida!
    Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *